Tradução

quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

CURSO DE TÉCNICAS DE REPROGRAMAÇÃO MENTAL = GDT - Grupo Didático Terapêutico


                                         
APRESENTAÇÃO:

Completando 30 anos de atividade profissional em 16/08/16, com um Banco de Dados de cerca de 3.000 casos clínicos, Sueli Meirelles selecionou as técnicas mais produtivas da ATH- Abordagem Transdisciplinar Holística em Psicoterapia (Movimento de Síntese entre a Psiconeurolinguística, Bioenergética, Gestalt-Terapia, Psicologia Transpessoal, Física Quântica e Tradições da Humanidade), criando um método próprio e bem sucedido de 

REPROGRAMAÇÃO MENTAL, Através da transformação dos símbolos do inconsciente profundo.

Estas técnicas estão agora disponível para você, estudante ou profissional de Psicologia, através do GDT – Grupo Didático Terapêutico, onde você terá a oportunidade imperdível de vivenciar a técnica como cliente e aplicá-la como psicoterapeuta, para que sua atuação profissional seja dinâmica e produtiva. Desse modo, seu cliente irá alcançar resultados afetivos e efetivos.


PROGRAMA

19/03/16 –  I Seminário -  Ética e Postura Profissional – Modelos Administrativos – A Entrevista Inicial em ATH.

23/04/16 – II Seminário - Identificação da Dinâmica Psíquica (Técnica: O Animal).

21/05/16 – III Seminário - Reprogramação da Infância (Técnica: O Álbum).

18/06/16 – IV Seminário -  Identificação de Bloqueios Psíquicos (Técnica: A Torre).

23/07/16 – V Seminário - Esvaziamento de Cargas Emocionais (Técnica: As Nuvens).

20/08/16 – VI Seminário - Despedida Afetiva de Entes Queridos (Técnica: O Jardim).

17/09/16 – VII Seminário - Equilibração das Funções Psíquicas (Técnica: Quatro Funções).

22/10/16 – VIII Seminário - Integração de Partes Psíquicas (Técnica: PAAC).

19/11/16 – IX Seminário - Diálogo com o Sintoma (Sala de Exames).

17/12/16 – X Seminário - Contato com o Eu Superior (Técnica: A Gruta do Coração)

21/01/17 - XI Seminário - Avaliação para Alta (Técnica: O Lago).



18/02/17 - XII Seminário -  Apresentação de Trabalhos – Encerramento.

HORÁRIOS e ATIVIDADES

Início: 19/03/16 - Um Sábado por mês:

9:00 às10:00 - Prática
10:00 às 10:15 - Coffee Break
10:15 às 12:00 - Teoria
12:00 às 14:00 - Almoço
14:00 às 15:45 - Treinamento
15:45 às 16:00 - Coffee Break
16:00 às 17:00 - Supervisão

Apenas 15 vagas.
Reserve: 55 22 999.557.166
Email: suelimeirelles@gmail.com

Investimento mensal: R$200,00
LOCAL: Casa Eliza Vidal: Rua Monsenhor Miranda, 30 - Centro - Nova Friburgo/RJ


SUELI MEIRELLES - Especialista em Psicologia Clínica (UGF/1986)  - CRP 05/11601
Fundadora e Didata do INSTITUTO VIR A SER
MBA em Gestão de Projetos (UNIPAZ - Universidade Internacional da Paz)
Coordenadora de Organização do Pentagrama do CIT/BRASIL - Colégio Internacional de Terapeutas
Membro da ALUBRAT-Associação Luso Brasileira de Psicologia Transpessoal
Membro do IONS - Institute of Noetic Sciences (USA)
Uma das pioneiras da ATH-Abordagem Transdisciplinar Holísitca no Brasil
Consultora em Desenvolvimento Humano, Saúde Integral, Ecologia Integral e Educação para a Paz.
Escritora e Palestrante em Congressos Nacionais e Internacionais (Lisboa /OPP-Ordem dos Psicólogos Portugueses -Tema:  Psicologia e Emergência Espiritual. Porto / Earth -Tema:  Terapias Regressivas.
Autora do livro: Do Divã à Espiritualidade: ATH - Abordagem Transdisciplinar Holística em Psicoterapia. Ed. Ideias e Letras.

terça-feira, 26 de janeiro de 2016

CONSULTAS ONLINE


Desenvolvi este método de Reprogramação Mental em 9/15 sessões especialmente para você, que busca autoconhecimento através de intervenções terapêuticas dinâmicas, que já produziram resultados efetivos com mais de 3.000 pacientes, atendidos em 30 anos de trabalho.

 A Psicolinguística fornece a base de compreensão da linguagem do inconsciente profundo.
 A Bioenergética, fundamenta a identificação dos conteúdos emocionais dos sintomas.
 A Gestalt-Terapia oferece os recursos de intervenção, através de técnicas de visualização criativa.
 A Psicologia Transpessoal e a Física Quântica, permitem o acompanhamento terapêutico dos fenômenos de expansão da consciência, tão frequentes na atualidade.
As Tradições Sapientais da Humanidade, permitem o acolhimento da visão de mundo de cada paciente, para a sua reequilibração física, emocional, mental e espiritual.

Na primeira sessão é realizada a Anamnese (entrevista diagnóstica) e já é aplicada uma técnica para identificação de sua dinâmica psíquica, ponto de partida de todo o processo de Reprogramação Mental que transforma símbolos que comandam o comportamento expresso, em símbolos positivos.

Para agendar horários de atendimento presencial ou online, entre em contato pelo Whatsapp: 55 22 99955-7166
Site: www.suelimeirelles.com
suelimeirelles@gmail.com


SALÁRIO NÃO É RENDA





            A Línguagem é, para o ser humano, um instrumento vivo e dinâmico de representação do mundo e das experiências nele vividas. Nada existe que não tenha um nome para sua designação, fazendo com que nossa linguagem determine a visão que temos do mundo e de tudo que ocorre a nossa volta. Neste sentido, os significados que atribuímos a determinadas palavras, constituem o conjunto de crenças que direcionam nossas vidas e determinam nossas ações concretas diante de cada situação vivenciada. Além disso, o conjunto de palavras definidas no dicionário de qualquer língua tem valor de lei, por representar um consenso nacional sobre os significados atribuídos a determinados vocábulos, os quais servem de base para a compreensão das leis jurídicas instituídas neste mesmo país. Quando paramos para analisar mais profundamente palavras que fazem parte do nosso cotidiano, deparamo-nos, às vezes, com surpreendentes descobertas Numa destas freqüentes incursões pelas páginas dos dicionários, e pelas leis instituídas sobre termos específicos, encontramos alguns aspectos muito interessantes com relação aos termos salário e renda, que passamos aqui a questionar, até por se tratar de um assunto pertinente a todos nós brasileiros:
O termo salário tem origem nos tempos épicos do Império Romano, quando os soldados eram pagos com sal, estabelecendo-se, desde então, uma relação intrínseca entre salário e sustento da vida. No Brasil, quando instituído, em 1º de Maio de 1940, através do Decreto -lei 2.162, pelo Presidente Getúlio Vargas, em seu artigo 1º, o salário-mínimo destinava-se à satisfação das “necessidades normais de alimentação, habitação, vestuário, higiene e transporte”, caracterizando, mais uma vez, a destinação do salário à manutenção das necessidades de vida do trabalhador.
            Por sua vez, no Dicionário Etimológico Nova Fronteira (pág.675) o termo renda está assim definido: resultado financeiro de aplicação de capitais ou economias, ou de locação ou arrendamento de bens patrimoniais”. Por esta definição depreende-se que renda e salário não são sinônimos lingüísticos, já que renda é o rendimento obtido com a aplicação de economias constituídas pelas sobras de salário. Se renda não é o mesmo que salário, por que o chamado Imposto de Renda tem incidência sobre o valor bruto dos vencimentos do trabalhador? Por que o imposto de renda, ao invés de incidir apenas sobre os lucros financeiros obtidos através das diferentes formas de aplicação das sobras salariais, retira, na fonte de recebimento salarial, um percentual dos recursos destinados à alimentação, habitação, vestuário, higiene e transporte do trabalhador? Em que momento da trajetória legislativa esta distorção lingüística ocorreu? Será que um trabalhador, já considerado de classe média, que ganhe em torno de R$2.000,00, sobre cujo salário incide o desconto de imposto retido na fonte, supriu todas as necessidades normais de alimentação, habitação, vestuário, higiene e transporte, para si mesmo e para sua família?” Ou será que ele está sendo obrigado a repassar para o Estado, recursos que ainda seriam necessários para o sustento e para a melhoria da qualidade de vida de seus familiares?
            A partir da definição lingüística dos termos salário e renda, entende-se que o trabalhador citado no exemplo acima, somente deveria pagar imposto caso aplicasse as sobras do seu salário no mercado financeiro ou locação, ou ainda arrendamento de bens patrimoniais, passando a usufruir de lucros desvinculados de qualquer atividade laborativa. O que nos parece bem definir o termo renda é o fato de que, aquele que vive de rendas, não necessita trabalhar, mas usufrui lucros originários de outras fontes.
            Talvez alguns leitores estejam se perguntando por que, um tema tão específico de Direito e Economia está sendo abordado por uma Psicóloga. Os Psicólogos são agentes de transformações sociais e a eles, cabe justamente questionar o status qüo da sociedade, naqueles aspectos relacionados com os condicionamentos aos quais somos submetidos, sem percebermos a quem eles podem favorecer. Além disso, este é um assunto de interesse de todos os brasileiros que ao final de cada ano fiscal, fazem malabarismos financeiros, muitas vezes prejudicando a qualidade de vida e o sustento de sua família, para não se transformarem em sonegadores fora da lei.
            Como este, entretanto, não é um assunto específico de minha competência profissional, deixo aqui uma indagação aos Advogados, Promotores e Juízes, defensores da Justiça e da Sociedade, aos quais cabe pesquisar: Salário é renda?

Sueli Meirelles: Especialista em Psicologia Clínica e Consultora em Abordagem Transdisciplinar nas Áreas de Desenvolvimento Humano, Saúde Integral, Ecologia Integral e Educação para a Paz, há 30 anos.


Email: suelimeirelles@gmail.com

segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

LIÇÕES DE PIPO - UM CONTO PARA QUEM PRECISA SE DESPEDIR DE SEU ANIMAL DE ESTIMAÇÃO

A princípio não sei o que dizer. É como se o sentimento de perda se equilibrasse com as lições aprendidas. Creio que esta é uma compreensão que vem com a maturidade. É como se, com o passar da vida, fossemos aprendendo a nos despedir daqueles que amamos, até que seja a nossa vez de partir. A passagem vai se tornando cada vez mais natural. Mas...E a saudade? E a saudade da presença física, do carinho, do aconchego? Este é um espaço vazio, no qual as memórias do antigo dono (será que somos donos de seres vivos?) precisam ser transformadas em belas lembranças e o amor liberado precisa ser redistribíido pelos que ficam, até que a tendencia à boa forma reorganize o dia-a-dia da vida.
Mas existem também as preciosas lições: Nosso gatinho Pipo viveu conosco por onze anos, desde aquele primeiro dia em que miou, insistentemente diante de nossa casa, lutando pela sobrevivência, até que nos o acolhêssemos. Pipo construiu uma existência plena, com força e coragem, sempre defendendo seu território, literalmente com unhas e dentes: Depois de acolhido, voltou as ruas, vivendo suas aventuras amorosas, correndo riscos na travessia de vias urbanas movimentadas, saltando muros com pulos certeiros, até mesmo lançando-se do terceiro andar de um prédio, para sair pela noite, atendendo ao chamado do seu instinto de macho.
            Dentro de casa, no convívio com a família, era carinhoso e voluntarioso, sempre reclamando do que lhe desagradava e fazendo valer a sua vontade, ao pedir colo. Tinha uma personalidade forte como os membros da família. E talvez por ter as mesmas convicções, não quis curtir doença. No breve espaço do último dia do ano de 2011, foi internado na clínica veterinária para não mais voltar. Com ele, aprendemos que os ciclos se encerram e que evoluir é alternar passos, deixando o espaço percorrido, em busca de novos caminhos.
            A Teosofia nos ensina que animais são almas-grupo, que atravessaram o reino elemental, mineral e vegetal, entrando no reino animal para desenvolverem seus instintos, sentimentos e personalidade; evoluindo das feras aos animais domésticos; aprendendo hábitos humanos para a próxima etapa evolutiva, da alma individualizada, com os riscos e acertos do livre arbítrio. O terrível desafio vivenciado por nós, seres humanos.
            Querido Pipo: Espero, em Deus, que tenhamos contribuído positivamente para sua aprendizagem evolutiva. Que tenhamos sido, para você, bons exemplos de seres humanos. Acima de tudo, a você agradecemos por mais esta oportunidade de amar livremente, apenas desejando o bem, sem querermos aprisionar o ser amado ao nosso lado. Conscientes de que todas as formas de vida pertencem a Deus e a ela retornam.


VÁ EM PAZ GATINHO PIPO, COM O CARINHO DA FAMÍLIA MEIRELLES!

Agende sua consulta de Desssensibilização de Experiência Traumática, presencial ou online: 55 (22) 999.557.166 e liberte-se da dor emocional pela perda do seu animalzinho de estimação.

Dra. Sueli Meirelles: 
Especialista em Psicologia Clínica (CRP 05/11601), Regressão de Memória, Hipnose Erciksoniana e Reprogramação Mental. Professora e Pesquisadora de Fenômenos Psicoespirituais. Fundadora e Coordenadora do Carrossel de Luz (Grupo de Pesquisas Noéticas) Autora do Livro: Do Divã à Espiritualidade: ATH - Abordagem Transdisciplinar Holística em Psicoterapia e dos livros do Projeto Consciência da Vida.. Cronista do Jornal Século 21 (Nova Friburgo), com mais de 300 artigos publicados do Jornal de Hoje.  Consultora em Desenvolvimento Humano, Saúde Integral, Ecologia Integral e Educação para a Paz.


Para saber mais sobre a vida espiritual dos animais: Livros do Veterinário Marcel Benedeti: